Você só precisa conhecer alguém

Sabe quando não dá mais para continuar fingindo um sorriso ao representar o papel de coadjuvante da própria vida, enquanto do palco se assiste o novo protagonista sufocar o seu personagem quase transformado em figurante? Sabe quando você não sabe como vocês chegaram a esse ponto? Quando lembra que houve um tempo em que apenas uma ligação da pessoa te causava taquicardia e que agora, aos poucos, falar com ela passou a parecer mais um monólogo frio e sem graça? Pois é…

Sabe quando, nos ‘diálogos’, você se vê sempre forçando uma briga que a pessoa nem ao menos quer comprar? Quando você percebe que antes, durante as raras discussões, o outro se mostrava preocupado e aflito, mas agora exala apatia e preguiça? Sabe quando você se pega se teletransportando para muito longe daquele abraço, que no passado já foi o seu lugar favorito em todo o mundo? Pois é… Acontece.

Cansa. Qualquer um cansa de insistir sozinho em um relacionamento que deveria ser a dois. Qualquer um cansa de viver esperando uma atitude da pessoa que possa salvar o pouco que ainda resta. É triste ouvir “Você mudou” e concluir que, depois de tanto tempo, a pessoa tem mesmo razão… Você já não a conhece e nem se reconhece mais. E aí, amigo, é melhor entrar no bote e sair desse Titanic prestes a naufragar com você dentro.

Só não seja egoísta, não culpe o outro por isso. Provavelmente vocês dois erraram igual, de maneiras diferentes. Mas agora chegou a sua vez de acertar e tomar uma atitude… A atitude certa. E tenho que te dizer: Fazer o certo nem sempre é o mais fácil, mas, no final, continua sendo o mais bonito, o mais nobre, o mais libertador.

Outro dia, ouvi uma frase que dizia “Quem desiste, na verdade, nunca quis”. Não concordo, sabe? Às vezes a gente quer tanto algo que acaba tentando demais e aí a tentativa vira insistência. É preciso reconhecer quando se está insistindo na coisa errada por, pura e simples, teimosia. Desistir quando se pensa não ter mais razões suficientes pra tentar é um dos maiores atos de coragem que conheço. Porque não exige coragem apenas de se deixar pra trás algo que faz parte da sua vida, algo que está quase cravado na sua pele, algo que já é peça importante da sua história… Exige também a coragem de tentar mais uma vez, uma outra coisa. Exige a coragem de se dar e dar ao outro a chance de recomeçar e, principalmente, a chance de conhecer um novo alguém.

Sim. Nessas horas tudo que você precisa é conhecer alguém. Alguém pra mostrar que você combina mais com o papel principal e que o cenário novo tem mais vida que o anterior. Alguém que te apresentará novos personagens e te fará entender que a história parece rumar cada vez mais para um final feliz. Ou, ao menos, diferente… Porque, você sabe, às vezes precisamos mesmo de comédias, não de dramas.

Ah, não adianta procurar como um maluco esse tal alguém. Você não vai encontrá-lo por aí. É muito mais complicado. Sabe quando você vai achar? Quando você decidir. Quando você for corajoso o suficiente pra isso… Aí acontecerá. Na verdade, você reencontrará um antigo alguém. Sim. Um alguém que reaparecerá mais maduro, sereno e forte. Será assim: Um dia você vai acordar, olhar no espelho e perceber que esse alguém está ali, bem na sua frente.

Quando isso acontecer, você notará que essa, sim, é a pessoa mais importante de todas… A única, de fato, fundamental, insubstituível, essencial. Você é o piloto. As outras pessoas que surgirem na estrada só deixarão a viagem mais interessante.

(Jessica Delalana)

* Esclarecimento: A imagem utilizada no post não é de minha autoria. Na presença de qualquer problema relacionado aos direitos autorais, favor entrar em contato.