Você ainda gosta dele/a porque…

Já parou pra pensar que talvez você só ‘gosta’ tanto dele/a por ser difícil conseguir que ele/a goste de você de volta? Que ele/a parece tão incrível porque não te dá a mínima? Que ele/a é inesquecível por nem lembrar da sua existência?

Ele/a certamente não é o amor da sua vida, não é insubstituível, não é o mais bonito/a, não tem o melhor papo ou pegada do planeta, não é a única pessoa que pode tocar seu coração, mexer com a sua cabeça e bagunçar seus sentidos… Ele/a só é tudo isso nessa sua idealização, nessa sua versão de alguém que apenas existe na sua mente confusa.

Pois é… A única diferença entre ele/a e o resto é essa rejeição que você não engole. O ser humano tem essa mania feia de valorizar o que não tem. Parece que gosta de sofrer, né?! Deve estar no nosso DNA, não é possível.

E não… Isso não é amor. É jogo. Você insiste porque quer vencer e o prêmio é conseguir a atenção dele/a. Só isso. 

Quer mesmo saber? Se você ganhasse, veria que não valeu tanto esforço. Se entediaria tão fácil com o troféu que após algumas semanas comemorando o deixaria ali pegando pó. Não demoraria até ele/a se tornar mais um objeto inútil que você não suporta mais. E logo arrumaria outro alvo a ser atingido. Tipo as fases do seu videogame, sabe?!

Acontece que as pessoas não são coisas e gostar não tem nada a ver com essa ânsia em conseguir a cura pro orgulho ferido que você cultiva aí. Deixa de besteira. Isso pode ser obsessão, possessão, criancice… Chame de qualquer palavra do tipo, nunca de amor.

Pense bastante, analise os fatos. Tenho certeza que se for inteligente desistirá de toda pessoa que não vem até você por livre e espontânea vontade e permanece pelo mesmo motivo. 

Quando alguém não nos quer mais, é natural a frustração. Porém, a gente sofre por ‘amor’ até certo ponto, depois passa ser somente dor de ego. E essa é perda de tempo.

Não gostar do que vem muito fácil é uma coisa, insistir em preferir o que nos faz sofrer é, no mínimo, muita imaturidade. O problema é que crescer é inevitável.

O desafio sempre desperta interesse. Mas interesse não é amor. Amor é quando o interesse continua depois que outro deixa de ser inalcançável e passa a ser rotina.

Então, é muito simples… Se um dia alguém te corresponder – de verdade – por um bom tempo e você continuar interessado, aí sim, fique atento: Pode ser amor. Pode ser. Agora dessa vez não é. Dessa vez é puro mimimi mesmo.  (Jessica Delalana)

* Esclarecimento: A imagem utilizada no post não é de minha autoria. Na presença de qualquer problema relacionado aos direitos autorais, favor entrar em contato.

Comentários

  1. […] Você ainda gosta dele/a porque… […]

    1. jessdell disse:

      Meu Deus, me desculpaa! Só vi agora o post lindo que você fez recomendando textos meus e o blog. Fiquei extremamente feliz e achei incrível a maneira que você descreveu tudo. Parabéns, você realmente tem o dom da escrita 😉
      E muito obrigada pelo ‘linda’… Aliás, você poderia mostrar seu rosto pra gente também, né? A essência me pareceu tão bonita que com certeza isso se reflete por fora.
      Desculpa a demora pelo retorno, eu não sei mexer no WordPress totalmente ainda, acabei tendo um problema no site hoje – que ainda não resolvi – e fuçando nas coisas, encontrei seus ‘comentários’.
      Vou fuçar seu blog também e só pelos poucos posts que li, tenho certeza que vou adorar!
      Beijão e sucesso <3